Livres de ingredientes polêmicos, os cosméticos orgânicos vieram para ficar.

Quem achou que a avalanche de cosméticos verdes que contagiou o mundo da “beauté” recentemente não passava de modinha enganou-se redondamente, um passeio pelas prateleiras repletas de produtos eco no Whole Foods, rede de supermercados orgânicos com lojas nos EUA e na Inglaterra, é suficiente para constatar que o setor vai de vento em popa.

No Brasil, embora ainda engatinhe se comparado ao exterior o mercado de beleza verde oferece boas opções, tanto de marcas importadas como L´Occitane e Weleda, quanto nacionais como Amazonia Viva, Ikove e Vyvedas.

Os efeitos potencialmente nocivos de alguns ingredientes usados pela industria de cosméticos deixa uma dica: ADOTE um kit de beleza eco JÁ!!!!
“Fuja de conservantes a base de parabenos, do óleo mineral e de outros derivados do petróleo, porque além de fazerem mal à saúde têm impacto negativo no ambiente” alerta o farmacêutico especialista em cosmetologia Maurício Pupo.
Silicones, polietilenoglicois(PEGs), sulfatos e fragâncias sintéticas também estão na lista negra – guarde esses nomes e confira o rótulo na hora de comprar. Como alternativa invista em óleos vegetais, e extratos de plantas.
Para ser orgânico o produto deve ter no mínimo 95% de ingredientes certificados – ou seja que respeitem o plantio sem agrotóxicos, usem mão de obra justa e sejam extraídos sem procesos químicos.
Quer saber se seu creme favorito é “tóxico”?

Acesse o site www.ewg.org e faça a busca. No fim das contas, se há uma opção mais verde, por que não substituir?

Fonte: Vogue Brasil nº 395 Junho/11